Sistemize

Como facilitar a mudança de carreira? Aprenda as 7 recomendações

Mudar nunca é fácil. Quando falamos em mudar de carreira, o grau de dificuldade pode ser ainda mais alto. Mas não é por isso que você está condenado a ficar aí parado! Embora a transição de carreira seja um movimento complexo, você pode tentar fazer isso seguindo as seguintes recomendações do especialista Silvio Celestino.

Recomendações da Sistemize para mudar de carreira.

A Distancia

1. Faça uma reserva financeira

Por isso, é preciso que você faça uma reserva financeira antes de entrar de cabeça nessa transição. Principalmente se pessoas dependam financeiramente de você, como filhos, pais etc. Silvio recomenda que você faça essa reserva por dois ou três anos, mais ou menos, para enfrentar com mais tranquilidade a fase de mudança propriamente dita.

2. Entenda o mercado de trabalho

Antes de mudar de carreira, também é preciso que você estude o mercado de trabalho. Entenda as possibilidades reais que a nova área oferece. “Não basta apenas gostar do que você faz. Isto é amplamente divulgado, mas a realidade é outra. É preciso focar alguma coisa que você goste, claro, mas também que tenha mercado, que tenha público”, afirma Silvio.

 

Conheça os Benefícios do Coaching Online

na Sistemize

Vendas Hoje eu quero tratar de um assunto muito importante se você pretende ser um coach e ajudar milhares de pessoas com o seu conhecimento.
O Brasil é um dos grandes países formadores de profissionais coaches. São milhares de novos profissionais formados todos os anos, além de outros milhares querendo entrar para esse maravilhoso universo. No entanto, alguns cuidados são importantes na hora de escolher uma boa formação.
Você já se perguntou…


Como escolher uma boa escola e/ou formação em Coaching – seja ela online ou presencial?


 
Após estar formado, como você pode entrar no mercado de Coaching?
Quanto ganha um coach? Como você deve cobrar pelos seus serviços?
Como um coach sobrevive gera receita nesse mercado?
Eu responderei essas perguntas nos tópicos a seguir para te ajudar a escolher uma boa escola de coaching e se tornar um coach de sucesso. É muito importante que você preste atenção até o final desse post!


Principais pontos para escolher uma boa escola de Coaching


 
Eu vejo que muitas pessoas têm dificuldade em escolher uma escola de coaching e isso é completamente normal. Hoje em dia, existem inúmeras escolas de coaching no Brasil e, talvez, esse seja o grande “problema”. Eu fui diretor de escola durante 20 anos da minha vida e, uma coisa que eu aprendi ao longo desse período, é que os pais dos meus alunos se preocupavam muito com a escolha da escola ideal, afinal eles tinham muitas opções para pesquisar e se decidir.
Aliás, alguns dos pontos que eu coloquei nesse guia foram inspirados da minha vivência. São pontos que eu já utilizei – e ainda utilizo – até hoje para escolher os cursos que eu faço (tanto os presenciais quanto os online).


1º ponto: Tradição


O primeiro ponto que eu acredito que seja importante nessa escolha é a questão da tradição. Se uma escola está no mercado há muito tempo tem um bom timeover de alunos, significa que essa escola está “sobrevivendo” muito bem e que o método dela funciona.
Isso só acontece depois de um tempo que uma escola já está trabalhando e se dedicando ao ensino de seus alunos. Educação não é uma coisa que se constrói do dia para a noite. Um bom método não é um processo de curto prazo; mas sim um processo de médio e longo prazo.
É por isso que eu falo muito em tradição: tente escolher uma escola que já está em atividade há um bom tempo, que você possa encontrar boas referências sobre ela e que as pessoas esteja falando bem dela nas redes sociais.
Pesquise, também, quem é o líder dessa escola. O líder é um coach? Ele já fez sucesso profissionalmente? Ele tem um método para te oferecer que realmente atinja seus objetivos?
Comece por este ponto!


2º ponto: As chancelas internacionais


 
Às vezes, as pessoas acabam se iludindo com algumas chancelas internacionais. Eu não estou falando que não é importante ter uma. Na verdade, é importante sim. No entanto, eu acredito que hoje em dia o Brasil tem opções excelentes em coaching, tanto profissionais quanto escolas de formação. E tenho certeza que, em pouco tempo, serão as escolas internacionais que vão querer chancelas brasileiras.
Além disso, muitas chancelas internacionais, de fato, só existem como “logo” ou como fachada, então é muito importante você verificar isso.
Eu sempre digo que, em qualquer profissão ou negócio, existem pessoas bem intencionadas e pessoas mal intencionadas. Eu não quero entrar nesse mérito, porém é algo que você precisa prestar atenção. Existem muitas pessoas que se apegam demais a isso e eu não acho que esse é o caminho; não acho que isso é o que deve fazer a diferença na sua escolha.


3º ponto: Certificação e regularização no MEC


 
Muitas pessoas me escrevem e-mails perguntando se o curso de coaching é regularizado. A resposta é: não. O coaching é um curso que não tem um órgão específico que o regulariza. Nem mesmo o MEC o reconhece como um concurso de grade. O curso de coaching, na realidade, é considerado um curso livre pelo MEC.
O que geralmente acontece é que algumas faculdades oferecem o MBA em Coaching ao fazer uma parceira com uma grande escola de formação de coaches. A escola entra com o conteúdo e a faculdade entra com a certificação.
A escola de coaching pode emitir uma certificação desde que a empresa tenha o cadastro legal junto à receita federal com o objeto social e de inscrição válidos.


4º ponto: Ex-alunos como referência


 
Quando eu era diretor de escola, muitos pais falavam, no momento em que eu os atendia para matrícula dos filhos, que eles tiveram referências positivas do colégio a partir de um ex-aluno que estuda ou estudou lá. Eu acho que isso é muito válido!
Eu aprendi a buscar esse tipo de referência, principalmente com o uso da internet. Aliás, hoje em isso é muito comum e fácil de fazer.
Com a internet, é possível encontrar perfis e depoimentos em vídeo de alunos que já estudaram na escola de coaching que você pretende ingressar. Você pode entrar em contato com essa pessoa e conversar com ela para saber como que foi o curso que ela fez, se foi online ou presencial, como funcionava o dia a dia desse curso, como funciona a certificação etc.


5º ponto: Filosofia e métodos


 
Todas as escolas têm filosofias e métodos próprios que elas acreditam ser o melhor para o mercado. Não tem problema nenhum em relação a isso, até porque todo mundo tem que acreditar no seu próprio método.
No futuro, você será um coach e também desenvolverá o seu método e a sua filosofia de vida – e terão pessoas que gostarão dele e outras que não vão gostar.
A maioria desses métodos vem de algumas vertentes de metodologias na área de educação ou na área de desenvolvimento pessoal, então procure saber a fundo sobre elas antes de escolher a sua escola de coaching. É até legal para você já ir aprendendo, porque na hora de você fazer a sua formação em coaching podem ter algumas coisas que não te agradem, justamente porque você não investiu o tempo necessário para pesquisar sobre o método e a filosofia daquela escola ou instituição.


Defina seu nicho


 
Uma das coisas que eu sempre achei importante, mas que muitas pessoas deixam para pensar nisso muito depois que se formam numa escola de Coaching, é a questão da definição de um nicho.
Muitas pessoas acabam se formando e correndo para o mesmo segmento. Geralmente esse segmento é o corporativo. O resultado é que o mercado “incha”, afinal fica difícil abarcar tanto profissionais para uma mesma área, principalmente quando estamos vivenciando um momento de crise econômica, na qual acaba se cortando muitas coisas em relação desenvolvimento e treinamento de profissionais dentro das empresas.
É importante saber que existem vários nichos e, dentro deles, temos os chamamos “sub-nichos” – que você pode (e deve!) começar a pensar neles antes mesmo de começar seu curso de coaching.


Por exemplo: no meu curso Master Coach de Carreira, eu ofereço quatro nichos de formação:


 
1 – Coaching vocacional para quem quer trabalhar com a escolha profissional de jovens dentro de escolas.
2 – Coach de carreira para universitários em processo de job search, entrada no mercado de trabalho e colocação no mercado.
3 – Coach de transição de carreira para pessoas que querem mudar de emprego ou iniciarem um negócio próprio;
4 – Coach para desenvolvimento de carreira para profissionais que querem chegar em um posto mais alto no emprego atual.
Estes são apenas alguns recortes em coaching de carreira. Na verdade, dentro desse nicho, nós temos mais de 12 recordes que você pode estar se especializando (assim como no Business Coach também, por exemplo).
No geral, você pode fazer coaching para tudo e pode, ainda, criar outros nichos que não existem, assim como eu fiz com o coaching vocacional: eu já trabalhava com orientação vocacional, fiz a primeira formação de Coaching há 9 anos, gostei e decidi criar/validar um método de coaching vocacional. Eu fui o pioneiro desse sub-nicho no Brasil.
 

Há tantas coisas que você precisa realizar quando começar um negócio on-line e coaching. Você precisa criar um site impressionante, lançar um blog informativo, atrair tráfego qualificado, aumentar seu ranking da página, etc. Mas se há uma coisa que você não pode tomar concedido iria garantir um status perito em seu nicho escolhido. Obviamente, as pessoas não inscrever com você se não têm provas de que você tem que fazer para realmente ajudá-los.

Abaixo estão algumas dicas sobre como você pode convencer seus clientes potenciais que você está realmente bem informados e que você pode fornecer-lhes com o tipo de informação que eles exigem:

Carrega o seu site com informações surpreendentes. Sempre comece com o seu site. Ao invés de focar também muito do seu espaço e energia em falar sobre seus programas, comprometa-se a dar valor real para seus visitantes. Crie uma seção onde você pode alimentar seus clientes potenciais, com o tipo de informação que estão procurando. Vá para os fóruns e outras comunidades online. Em seguida, compile as perguntas e questões mais prementes que seus potenciais clientes geralmente encontram. Criar artigos contendo respostas e soluções e publicá-las em seu site. Para obter resultados surpreendentes, estar dispostos a compartilhar seus segredos pessoais e dicas. A informação mais atraente que você compartilha, o mais provável, você vai impressionar seus visitantes.

Fórum e blog comentando. Você não pode realmente esperar todos os seus clientes potenciais de exercer um esforço para encontrar seus artigos e blog, certo? O que pode fazer é dar o primeiro passo para fazer essa conexão primeira muito necessária. Vá para os fóruns e blogs, onde eles geralmente se encontram. Ler seus posts e se necessário, dar parecer sobre as questões que eles estão discutindo. Mais uma vez, estar disposto a compartilhar seus segredos e derramar insider dicas e técnicas para que possa impressionar as pessoas e depois levá-los a visitar seu blog e site.

Oferece seminários gratuitos. Se você quiser levar todo o processo para um novo nível, eu diria que organizar seminários curtos mas útil que você pode conduzir via telefone ou através de videoconferência.